Mulher falando do ex

Um leitor identificado como Rafael escreve:

“Uma garota com quem estou saindo fala bastante sobre o ex-namorado e não sei como agir sobre isso. Pra falar a verdade fico um pouco incomodado e queria saber o que você acha disso e se pode me dizer o que fazer?” 

Uma mulher que fala constantemente sobre o ex é um sinal de alerta. Na grande maioria dos casos ou ela ainda tem vontade de voltar com ele ou ela está testando você de forma consciente ou não. Eu sugiro que o leitor fique atento aos sinais que ela proporcionar, visto que o  mesmo não forneceu informações suficientes para a análise do Anfitrião.

Se achar que é o primeiro caso, você já sabe qual é a política da Mansão: infidelidade física e romântica são respondidas substituindo a garota. É assim que um homem age quando não é tratado da forma correta.
Se achar que é o segundo caso, então você deve melhorar seu jogo. Você ainda não deu impacto emocional suficiente para ela  gostar de você.

Lembre que as minhas análises sempre levam em consideração os piores casos possíveis. Ela pode ser apenas boba e o “bastante” do leitor pode ser um “ocasionalmente” na realidade. Mas de qualquer forma, sempre retire pontos de uma mulher que fala sobre o ex com certa frequência.
Eu evito falar sobre meus relacionamentos antigos porque no final isso só gera drama. As garotas gostam de saber que seu homem é disputado, mas não de forma direta. E nunca revele a quantidade de mulheres com quem você dormiu. Principalmente se o número é alto.

 

Uma carta para te dizer…

…que eu só queria dormir com você.

Mas hoje sinto falta.
Não (só)do seu corpo.
Dos seus dois sorrisos.
De amassar o seu cabelo.
De beijar seu pescoço.
E do cheiro de sabonete na sua orelha.
De te abandonar no cinema.
E te beijar na água salgada.
De fumar um cigarro de canela.
E perder no jogo de tiro (eu deixei).
Nós somos muito diferentes.
Completamente opostos.
E o erro mais bonito que cometemos…
… foi nosso primeiro beijo.

Mas você mudou meu coração e hoje eu sou um homem melhor.
E como não sei me despedir de você e quero te ter novamente…
… A gente se vê em outra vida.

Editado por O Artista.

 

 

 

 

Uma boa garota 2

Eu já comentei algumas das características que constituem uma mulher de maior valor. Por “maior valor” entenda que este tipo de mulher merece um consumo maior do seu tempo e dinheiro e pode ser digna do seu amor.

Eu não mencionei, entretanto, que este tipo de mulher está ficando cada vez mais escasso na população feminina. Não seja tolo. Não deixe uma mulher assim simplesmente passar por você.

Se a energia dela, e não seu belo rosto, é o que a torna fantástica, então vale a pena dedicar seus esforços para conquistá-la. Você pode até abdicar das outras garotas em favor dessa.

Desejo não é negociável, o filme

A maioria das pessoas acha que o jogo termina quando o namoro (ou o casamento) começa. O jogo nunca termina.

As habilidades e características sociais e psicológicas que possibilitaram conquistar a sua namorada ou esposa são as mesmas que a manterão por perto e fiel a você, fisicamente e romanticamente.
O fato é: um relacionamento longo é difícil de ser assegurado porque requer a internalização desses conceitos em sua personalidade.
Não basta apenas imitar. É preciso ser.

Eu já cansei de ver o cara carismático e cheio de opções entrar num relacionamento e sair destruído e sem moral alguns anos depois.
E antes do fim se concretizar, quando a salvação está em lembrar que ela amava o que ele era no início, o frustrado rapaz reforça seu comportamento suplicante e fraco que levou o relacionamento a desmoronar.

Isso ficou muito explícito ontem, quando eu e uma amiga vimos um filme: Blue Valentine.
Mas não se engane pelo nome, este não é um filme enjoativo para garotinhas. Há muita verdade sobre a dinâmica dos relacionamentos e as interpretações são excelentes.
O filme conta a história de um casal frente ao colapso de sua relação a partir de flashbacks, pelos quais um expectador atento consegue notar o que mudou entre o começo e o fim. É uma obra de qualidade excepcional, e que deve ser vista por qualquer homem que preze por uma vida amorosa saudável e feliz.

E já que esse é o objetivo da Mansão, vamos fazer uma análise rápida dos fatores que comprometeram o destino do casal, culminando em divórcio. (sim, o final não é feliz).

.Violação do Mandamento do Amor: “Viva para a sua Missão, tenha sonhos, objetivos e metas.”
Em uma das cenas, Dean tenta justificar que seu emprego, de baixo salário, serve para dedicar mais tempo à filha e para beber. Dean assume assim uma postura de pouca inspiração, sem um propósito ao qual Cindy possa se orgulhar de apoiar.
 Mais do que isso, ele possui menor status que Cindy, um veneno para qualquer relação de longo prazo.

.Violação do Mandamento do Amor: “Ignore a beleza dela e não a pedestalize”.
  Dean acredita que se casou com uma mulher especial e diferente de todas. Ele também assume que ela tem um passado sexual muito breve. Um erro muito recorrente.
Veja o filme e tire suas próprias conclusões. (dica: A filha não é dele)

.Violação do Mandamento do Amor: “Controle o ciúme.”
Em uma das cenas, Dean confronta Cindy por ter conversado com um amor antigo, uma clara demonstração de fraqueza que comunica “Sou tão incapaz de mantê-la atrelada a mim que uma conversa é uma ameaça à estabilidade do nosso casamento.”
Esse é um ponto importante. Observe que uma crise de ciúme assim é uma atitude de auto-depreciação, que é assassina do desejo. Ninguém quer algo que outros não possam querer.

.Violação do Mandamento do Amor: “Transe como se ela fosse a última mulher da Terra e essa fosse a última noite da sua vida.”
A cena de sexo entre eles é deprimente. Não apenas por ser uma demonstração de limitações nas habilidades de Dean, mas porque ele tenta negociar o desejo de Cindy. O resultado é grotesco e Dean continua errando e cavando mais fundo a sua própria cova.

.Violação do Mandamento do Amor: “Seja Imprevisível.”
É fácil ver que uma grande rotina se estabeleceu no casamento. Uma rotina não inspira ansiedade, felicidade e tampouco amor.

E para fechar da pior maneira possível…

A última cena é terrível.
Quando Cindy diz entre lágrimas e sussurros que quer divórcio, ele também se desespera e pronuncia as seguintes palavras:
“Apenas diga o que eu devo fazer para você me amar.”

Desejo não é negociável.

Você deveria saber o que fez de errado, Dean. Esse é seu dever como homem: liderar.
Pare de perguntar o que tem de fazer para que ela sinta amor por você. Ela não sabe. Ela apenas sente que não te ama.
O jeito que ela anuncia o divórcio com muitas lágrimas, quando diz “Me desculpe, mas eu não consigo mais”, é a prova de um sentimento de culpa por não conseguir te amar.
Ela não está atenta aos princípios que governam suas próprias emoções.
Mas você deveria estar.

Pare de pedir que ela lidere a situação. Resolva seus problemas. Você é o homem.

“Mas você prometeu. Você fez os votos… Essa é a minha pior hora e eu preciso de você.”

Ela não manda nas próprias emoções. Ela não racionaliza isto, mas ela quer que você saiba como fazer o amor não acabar.

O Anfitrião espera, do fundo do coração, que a sua história não seja similar a essa.
Eu também espero que, depois de ver o filme, não fique perturbado como minha amiga: incomodada por não ter ninguém para culpar pelo fim do casamento.
O filme tem uma dose de realidade muito grande para algumas pessoas, acostumadas com a figura do bem e do mal, do herói e do vilão. Nesse caso não há vilão, apenas um homem ignorante aos princípios que regem o jogo.

Por último, se você se identifica com esta imagem, eu só posso sentir pena de você.

11825773_10153851923346840_2344399452424603184_n

Ela escolheu esperar

teachman
Gráfico produzido pela página http://socialpathology.blogspot.com.br/

Uma amiga minha de muitos anos escolheu que vai se casar virgem. Ela é religiosa e sua fé com certeza teve forte influência nessa escolha.
Eu nunca compreendi bem o porquê de se privar de um dos maiores prazeres da vida e sempre questionava meus amigos mais velhos sobre suas opiniões nesse assunto. Um deles, também religioso mas falante do bom e simples português, disse-me o seguinte numa tarde depois do trabalho:

“Quanto mais paus uma mulher já viu, menor a probabilidade dela se apaixonar por um deles.”

Parecia verdade.
E realmente é. Pelo menos é o que pesquisas informam.

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1741-3737.2003.00444.x/abstract

Os dados foram coletados nos EUA há 20 anos. O estudo tem cerca de 10 anos.
Apesar do tempo, poucas mudanças na estrutura legal do país ocorreram, tampouco grandes revoluções culturais. Dessa forma, a probabilidade média de divórcio no intervalo de 10 anos encontrada no estudo, próxima de 34%, bate com as taxas mais atuais, de 2012, calculadas pelo site http://www.politifact.com/ com dados do NSFG, de 40 a 60% para os 15 primeiros anos de casamento.
Também é bem próxima dos valores obtidos em estudos de 2002, 30% para a primeira década de matrimônio, encontrados aqui.

Observe o gráfico.
A tendência que é mostrada é o declínio da probabilidade de sucesso do casamento a medida que aumenta o número de parceiros da mulher anteriores ao matrimônio.
A mesma tendência é observada para o sexo masculino. No entanto, como citado no estudo, essa tendência é muito menos representativa.

É notável que a mulher que tem apenas um homem durante sua vida, seu marido, tem uma probabilidade muito maior de manter o casamento estável.
Parece que minha amiga tem razão. Para maximizar as suas chances de ter um casamento longo, faz sentido permanecer intocada.

O Anfitrião espera que as meninas lendo esse post não se desesperem e continuem suas vidas sem se atrelar à causa da virgindade.
Afinal, além de bom para mim e para você, lembre que é possível ficar na média.
Segundo este estudo, motivado a encontrar o número total de parceiros sexuais de uma mulher americana, a maioria das garotas manteve relações com homens durante toda a sua vida.
Como é conhecido que vocês, meninas, tendem a mentir sobre suas experiências sexuais e reduzi-las (fato reconhecido e identificado na pesquisa), vamos aplicar o fator x2. 

Assim, você pode fornicar com um total de homens entre 3 e 6 que as suas chances de divórcio ficarão, no máximo, na média atual, algo entre 30% e 40%.
Dessa forma, caso você deseje maximizar um casamento feliz e saudável, evite o sexo casual ao longo da sua juventude.

Um homem de alto valor, ou seja, um homem desejado por muitas mulheres (e que é justamente o tipo de homem capaz de construir os relacionamentos mais intensos e duradouros) pode fazer sexo com várias piranhas, mas ele não se entrega emocionalmente para uma. E com certeza não se casa com uma.

Tenha em mente também que um homem de alto valor jamais dará o seu comprometimento apenas para fazer sexo com você.
Nesse caso vale a pena deixar as coisas acontecerem naturalmente. O sexo será um caminho duplo para aproximá-los, para que os dois se apaixonem um pelo outro e finalmente para que um relacionamento sério se inicie.

OBS: Algo que sempre comentei com meus amigos é que algumas garotas são extremamente mais promíscuas que a maioria. O último estudo linkado mostra que apesar da maioria das mulheres indicar o número 3, a média de parceiros é 8,6! Isso significa que algumas mulheres estão compensando pela maioria e realmente dando muito, muito amor ao mundo masculino.
Parece que aquela parte final do gráfico, 21+, é justificável.
OBS 2 : Eu não me casaria com uma mulher assim tão larga. 

Uma boa garota para você

Um amigo de infância frequentemente me questiona:

“O que faz uma garota ser boa para mim?”

“Garota boa” pode ser entendido de diversas formas.

É óbvio que para fins de relacionamentos existem diferentes tipos de garotas e cada tipo de garota se adéqua mais ou menos em cada modelo de relacionamento.

Provavelmente um homem que deseja um relacionamento duradouro e sério, com maior investimento de seu tempo, terá sua vontade frustrada se tentar firma-lo com uma stripper.
De forma análoga, para o cara que anseia por variedade e quer sexo o mais rápido possível será improdutivo tentar uma garota que escolheu esperar.

A tendência geral é que quanto maior a sua satisfação na cama, menores as chances de manter a garota por muito tempo (ou mais habilidades serão exigidas da sua parte, jogador).
Sim, meu amigo, não se pode ter tudo ao mesmo tempo.

Um relacionamento com uma stripper é sexualmente maravilhoso. Mas é rápido.
Um relacionamento com uma virgem da igreja é sexualmente deprimente. Mas é duradouro.
Existem exceções. Mas essas não fazem as regras.

O que você deve fazer é procurar um equilíbrio entre esses dois extremos, porém mais inclinado para onde você mais valoriza.

A garota ser boa ou não para você depende então puramente dos seus objetivos.
Já que meu amigo é um rapaz pacato e procura por alguém para ir ao cinema e almoços da família, aqui vão algumas sugestões de características a serem procuradas por ele.

Ela não teve muitos namorados;
-Ela não traiu nenhum namorado;
Ela é doce e pouco sarcástica ou pouco crítica;
Ela tem pouca necessidade de validação externa;

E agora a lista de sinais que meu amigo deve evitar.

Ela não tem vergonha alguma ao se despir na sua frente na primeira vez;
Ela não insiste que você coloque a camisinha;
Ela pula de relacionamento a relacionamento em intervalos curtos de tempo;
Ela coloca centenas de fotos ou compartilha centenas de coisas no facebook por dia;

Quanto mais características da primeira lista ela portar, menor o risco do seu investimento de tempo, sentimento e confiança ser inutilizado.
O inverso se aplica à segunda lista.

OBS: A Mansão está expondo fatos e não opiniões. É fato, por exemplo, que quanto maior o número de parceiros sexuais de uma mulher anteriores ao casamento, maiores as chances de divórcio
É opinião do Anfitrião que as mulheres façam uso da sua liberdade sexual da maneira que acharem mais conveniente. Mas atenta que o exercício ilimitado desse direito pode prejudicar o seu valor percebido para relacionamentos de longo prazo.